Início > Antipoemas > Antipoema 7

Antipoema 7

maio 2, 2011

Tragédia em Realengo

Na Escola Municipal Tasso da Silveira
bairro do Realengo
zona oeste do Rio de Janeiro
7 de amargo abril 2011
onze crianças foram assassinadas.
Cada bala matou
a infância nos meus versos.

Pelo buraco dos fonemas
esvaiu-se a vida
na hemorragia insana.

A morte dessas crianças
esvaziou o poema
esvaziou a poesia
esvaziou-me na cova das palavras.

Anúncios
Categorias:Antipoemas
%d blogueiros gostam disto: