Archive

Archive for maio \31\UTC 2008

Acalanto

João de Jesus Paes Loureiro

 

É noite é noite alta
                                e no poema
silabam-se saudades de quem amo.

 

O que faria agora
                              nesta hora
aquela que me ama
                                 e a quem eu quero?

 

Porque não vem
                             aqui comigo
entre  as estrelas
que adornam o colo claro desta noite…
(A noite debruçando em meu silêncio
 a flor da solidão, pálida lua…)

 

Oh! sonho traz-me em tua caravela
aquela que me ama
                                 e a quem adoro…
Tão bela
                Em sua moldura de ternura,
de alma musical
                             e meigo canto.
Então, brisa da noite, oh! brisa  leve
Revoa  sobre o sonho – essa lagoa –
e pousa na sacada onde ela espera
a estrela onde me escondo para vê-la…
Vai a seu leito e roça nos seus lábios
esta flor
               esta  pétala  de beijo.

 

Mas tão de leve que ela não desperte
e mansamente continue sonhando…

 

* * *
Do livro “Altar em Chamas”. Prêmio Nacional de Poesia pela Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, 1984. Editora Civilização Brasileira/RJ

Categorias:Geral